Comissão de Turismo da Alesc pede agilidade nas obras do Centro de Eventos de Balneário Camboriú

 

A Comissão de Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa recebeu, na tarde desta quarta-feira (24), o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício de Oliveira (PSB), para falar sobre a situação do Centro de Eventos do município. Mesmo já inaugurado no ano passado, o local segue sem previsão de início das operações.

A obra, estimada em mais de R$ 130 milhões, com 33 mil metros quadrados e capacidade para 60 mil pessoas, recebeu investimentos dos governos federal, estadual e municipal. A construção do local iniciou em 2015 e, conforme o contrato, deveria ter sido entregue em 2017.

Ainda em fase de acabamentos, como instalação de elevadores e climatização, a obra está 96% concluída. Recentemente, o governo lançou edital para instalação dos aparelhos de ar-condicionado, que devem custar cerca de R$ 11,5 milhões com a compra de 1,6 mil aparelhos de 12 mil BTUs.

Mesmo com a obra inacabada, o Centro de Eventos foi inaugurado em dezembro de 2018, e tinha previsão de iniciar as operações no final do primeiro semestre deste ano, porém, segue fechado por ainda não ter uma definição quanto à gestão do local.

“O que nós precisamos é de fato fazer o encaminhamento da licitação do Centro de Eventos, ou a licitação da terceirização, da privatização da gestão, e isso ainda não tem data para findar. Até porque ainda é um cronograma a ser enfrentado, mas que possa pelo menos ser feito de maneira provisória, ou pelo Estado ou pelo município. O estado anunciou que tem interesse, que vai fazer, agora nós precisamos de uma data para começarmos a trabalhar num calendário, e o que queremos é que o município seja incluído nessas discussões, porque nós temos características econômicas que precisam ser levadas em qualquer processo de gestão”, afirmou o prefeito.

Para o deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB), propositor da reunião, o processo precisa ser acelerado para que a cidade e o Estado não percam novas oportunidades econômicas com o Centro de Eventos fechado.

“Nós estamos preocupados com isso porque, como falou o prefeito aqui na reunião, nós não podemos deixar mais um ano se passar, porque é muito dinheiro. Um evento só como o dos contabilistas, por exemplo, representa R$ 30 milhões para um município, e isso é muito dinheiro, é muita coisa. Se a gente colocar que se possa fazer pelo menos 100 desses grandes eventos por ano, vocês imaginam o quanto isso representa para a economia não só de Balneário Camboriú, mas de todos os municípios no entorno”, destacou o parlamentar.

O que diz o Estado
A previsão é de que, em dezembro deste ano, já esteja definido o nome da empresa que fará a gestão do Centro de Eventos. Para isso, Santur e SCPar estão trabalhando na elaboração do edital de licitação. Antes de qualquer definição, a Santur está encarregada de gerir a agenda do local, que deve começar a receber eventos a partir de junho de 2020.

 

Comente com Facebook