Deputados estaduais voltam a criticar cortes orçamentários na educação federal

Enquanto a greve nacional contra os cortes orçamentários na educação federal mobiliza milhares de professores e alunos país afora nesta quarta-feira (15), os deputados catarinenses voltaram a criticar a decisão tomada em Brasília.

“Hoje tem protestos por todo estado e por toda a nação, recebi vários acadêmicos da UFSC em meu gabinete preocupados com os cortes de 30%. É preciso haver bom senso e equilíbrio, não podemos dar cobertura a qualquer processo de marxismo cultural, mas não podemos ir para o extremo do olavismo. Precisamos que se evitem os excessos, mas também que se possa preservar os investimentos”, ponderou Ismael dos Santos (PSD).

Laércio Schuster (PSB), Padre Pedro Baldissera (PT), Ivan Naatz (PV), Moacir Sopelsa (MDB), Ada de Luca (MDB) e Fabiano da Luz (PT) prosseguiram as críticas do colega.

“Disseram que estavam tirando recursos das universidades para colocar no ensino básico, mas ficou comprovado que tirou R$ 2,2 bilhões das universidades e R$ 2,4 bilhões da educação básica. Queremos o bem do país e para isso precisamos cuidar da educação”, defendeu o ex-prefeito de Timbó.

“Gostaria de me somar à manifestação, os cortes vão afetar enormemente os nossos estudantes em todo o país”, reforçou o ex-prefeito de Guaraciaba.

“Os alunos que estão comprometidos com a educação não podem pagar o preço daquilo que se mostra nas redes sociais, se forem mantidos os cortes, o curso de Medicina da UFSC fica completamente comprometido”, alertou Naatz, que citou falta de recursos para comprar álcool e formol.

“Temos de ter o convencimento de que o mal tem de ser cortado onde tem o mal, hoje estamos ouvindo na imprensa sobre bolsas mal distribuídas, mas quem precisa pagar é quem deve, há que separar aquilo que está sendo feito incorretamente, as universidades precisam de condições para trabalhar. Se em algum setor as coisas não estão sendo feitas corretamente, que se corrija naquele setor”, afirmou o ex-prefeito de Concórdia.

“Não é um problema só dos universitários e dos instituto federais, esta atitude foi cometida num ato de insanidade mental”, disparou Ada.

“O Mito, seguindo uma de suas grandes obras, corta 30% da educação do país, de R$ 39 bilhões baixa para R$ 24 bilhões. Na visão dele tudo se resolve na bala, quem sabe vão abrir escolas de tiro, quanto menos acesso à educação, melhor para manipular”, ironizou o ex-prefeito de Pinhalzinho.

Bruno Souza (PSB) divergiu dos colegas, mas criticou a performance do atual ministro da Educação, Abraham Weintraub.

“O ministro da Educação fez uma tremenda lambança por falha de comunicação, fazendo parecer que o Brasil está à beira do abismo fiscal, conseguiu dar narrativa para a oposição ao governo, vão começar falando contra os cortes e terminar contra a reforma da previdência”, previu Souza.

Segundo deputado, o orçamento da UFSC para 2019 totaliza R$ 1,78 bilhão e o contingenciamento atinge apenas 3,5% desse total.

“A má comunicação fez parecer que o corte é de 30%, mas o corte é de 30% nos gastos discricionários, que somam 12% do orçamento total da universidade, é mentira que estão cortando 30%, estão cortando em média 3,5% e não estão cortando, estão contingenciando”, advertiu o representante de Florianópolis.

Dia internacional da família
Ismael dos Santos lembrou a passagem do dia da família, celebrado nesta quarta-feira.

“O dia da família em 15 de maio foi declarado pela ONU em 1993 e reflete a importância do papel da família, o sol forte, a raiz forte para que se possa, através de um tronco comum, suportar as intempéries da vida”, declarou o representante de Blumenau, que acusou todos os que atacam a família de “comprometer o futuro da humanidade”.

8ª Mostra do Vinho Catarinense
Padre Pedro convidou os colegas e os catarinenses para prestigiarem a 8ª Mostra do Vinho Catarinense, que acontecerá na sexta-feira, sábado e domingo próximos em Pinheiro Preto, cidade localizada às margens do rio do Peixe, no vale homônimo.

“A 8ª Mostra do Vinho Catarinense vai acontecer em Pinheiro Preto neste fim de semana, é uma caminhada de vários anos, ela nasceu em 2009 em uma grande reunião no município de Tangará, envolvendo produtores, a Epagri e a Cresol”, revelou o deputado, que também é autor das leis do Dia do Vinho e da inclusão do suco de uva na merenda escolar.

Júri popular
Sargento Lima (PSL) relatou participação em sessão do júri popular dos acusados pela morte do policial militar Joacir Roberto Vieira, de Joinville, assassinado com tiros nas costas em 2017.

“Os cinco envolvidos na morte fiaram rindo e fazendo coraçõezinhos, zombando da cara do Estado”, descreveu o parlamentar, acrescentando que depois da tragédia “ninguém dos direitos humanos visitou a viúva.”

Obra abandonada de DP
Marcius Machado (PR) cobrou do Executivo uma decisão acerca da continuidade ou não da obra do prédio da Delegacia de Polícia de Painel, município situado entre Lages e São Joaquim, na Serra barriga-verde.

“Começou em 2010 e até agora a obra não teve andamento, o município precisa da estrutura e está sendo perdida essa base, fiz um pedido de informação para saber se a obra vai continuar ou não, uma vez que o terreno foi doado pelo município”, afirmou o representante da Serra.

Rodovias
Marcius Machado também reivindicou um novo projeto para a SC-370, que liga Rio Rufino a Urubici, uma vez que o primeiro foi orçado em R$ 100 milhões, bem como a continuidade das obras na SC-390, entre Celso Ramos e Anita Garibaldi.

Hospital Ruth Cardoso
Ivan Naatz pediu o apoio do Executivo para bancar parte do custeio do hospital Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú.

“Os municípios é que estão sustentando os hospitais filantrópicos e Balneário Camboriú não tem condições de continuar sem ajuda do governo do Estado. O hospital Ruth Cardoso é exclusivamente público, não atende particular nem convênio’, descreveu Naatz, revelando em seguida que o gasto anual do município com o nosocômio supera R$ 40 milhões.

Normativas do leite                                                                                             Fabiano da Luz previu que as Instruções Normativas 75, 76 e 77 do Ministério da Agricultura, previstas para entrarem em vigor no próximo dia 30 de maio, inviabilizarão cerca de 70% da produção leiteira de Santa Catarina.

“São normas muito rígidas com relação ao controle, análise e pagamento do leite e se forem implementadas no dia 30 vai se tornar um caos a produção de leite”, avisou o representante do PT.

Parcerias para recuperar rodovias
Valdir Cobalchini (MDB) lembrou sua defesa da alocação de recursos exclusivos para a manutenção da infraestrutura rodoviária e elogiou decisão do governador Carlos Moisés de celebrar parcerias com as associações de municípios para recuperar rodovias.

“O anúncio do governador semana passada nos traz um alento, de que através das 21 associações dos municípios, via consórcios, o Estado fará uma parceria para a manutenção das nossas rodovias”, informou Cobalchini, que questionou como as associações farão a manutenção das estradas e qual o papel da Secretaria de Infraestrutura.

Aedes Aegypti
Doutor Vicente Caropreso (PSDB) repercutiu na tribuna o Boletim Epidemiológico nº 13/2019, da Vigilância Sanitária, sobre a presença do Aedes Aegypti no Estado.

“Como vai movimentar a economia, como vai chamar para esses balneários famosos de Santa Catarina que detêm o bastão de número um da dengue?”, perguntou o ex-secretário de Estado da Saúde, referindo-se a Itapema, que lidera com 135 casos, seguida de Camboriú, Cunha Porã e Porto Belo.

 

Comente com Facebook