Presidente da Câmara de Vereadores da cidade de Indaial é preso por suspeita de furto em supermercado de Balneário Camboriú

Foto: Câmara de Vereadores de Indaial

Atualizada em 22/06/19 às 20:23 hs

A Polícia Militar foi acionada para atendimento de uma ocorrência de furto no Supermercado BIG, localizado na Avenida Brasil em Balneário Camboriú.

No local o autor dos fatos foi identificado como Antonio Carlos Fink,  e já estava detido pela equipe de segurança do estabelecimento.

No momento da abordagem, ele se identificou como engenheiro aposentado. Em busca pessoal foi localizada a chave do automóvel de Antônio, que se encontrava no estacionamento do mercado.

O fato ocorreu no final da tarde se sexta. Por volta das 18h o homem foi flagrado pelos seguranças do supermercado. Posteriormente foi feita busca no carro do vereador que estava no estacionamento do estabelacimento onde foi encontrado mais produtos.

No interior do veículo foram encontrados vários produtos de origem duvidosa como ferramentas, eletrônicos, carnes e lâmpadas sem nota fiscal e acondicionados dentro de sacolas do supermercado.

O homem e todos os produtos foram foi conduzidos para delagacia de polícia, (incluindo os produtos com nota fiscal apresentada pelo conduzido).

Na delegacia de Polícia Civil Antônio foi identificado como vereador Antonio Carlos Fink(PSDB), presidente da Câmara de Vereadores da cidade de Indaial.

O suspeito foi liberado após pagamento de fiança.

A versão do vereador

O advogado defesa do acusado disse a NSC TV, que tudo não passou de um mal-entendido e que as compras encontradas no carro teriam sido feitas de manhã. A tarde o vereador voltou ao supermercado para fazer mais compras e que o Fink teria deixado no carro as compras feitas pela manhã porque iria levar os produtos para Indaial.

O advogado também disse ao Potal G1, que  o vereador é cliente don supermercado há 10 anos e tem uma casa próxima ao estabelecimento, em Balneário Camboriú.

“Ele não chegou efetivamente a terminar a compra [da tarde]. Ele ia ao banheiro quando foi abordado por uma funcionária”, explica o advogado ao G1.

A defesa do acusado argumentou também que o vereador quando foi abordado pelos seguranças do mercado nao havia terminado de fazer compras e estava indo ao banheiro quando foi detido.

Foto: Click Camboriú

 

Comente com Facebook