Software poderia gerar até R$ 100 milhões em arrecadação em Itajaí

A empresa de inteligência Neoway apresentou o trabalho de gestão de dados desenvolvido no Município de Itajaí, na manhã desta quarta-feira (14), na sala de reuniões do Gabinete do prefeito. Com o cruzamento de informações de uma série de bancos de dados públicos e sua gestão inteligente será possível gerar até R$ 100 milhões para os cofres públicos em arrecadação de inadimplentes e economia em processos judiciais. O prefeito Volnei Morastoni e os representantes da prestadora de serviço se reuniram com entidades representativas, vereadores e secretariado para apresentação dos trabalhos desenvolvidos desde março deste ano.

O software ameniza as dificuldades em encontrar e sistematizar informações de bases de dados não conectadas, desatualização de cadastros e possíveis fraudes. Alguns trabalhos desenvolvidos com os dados já identificaram 678 empresas sem alvará em Itajaí e 9.412 empresas ativas sem cadastro no município. Só essas duas informações podem gerar uma arrecadação de R$ 34 milhões. Outra informação levantada nos bancos de dados apresenta as irregularidades nas isenções de IPTU.

Além das informações ligadas ao aumento da arrecadação, outros dados auxiliam na economia de recursos. É o caso de dívidas prescritas e cobranças indevidas realizadas pelo Município de Itajaí. Essas dívidas são ajuizadas e, em caso de irregularidades, o órgão público deve arcar com as custas judiciais. Só nestes casos, R$ 1 milhão é poupado nos cofres públicos.

Gestão moderna
O prefeito Volnei Morastoni abriu a reunião e explicou o intuito da ação. “Recebemos um pedido de esclarecimento e consideramos que esta seria uma situação oportuna. Não somente para responder administrativamente, mas mostrar esse software e sua importância”, declarou o prefeito.

Para o procurador-geral do Município de Itajaí, Gaspar Laus, o software traz muitos benefícios para a administração. “Ele é um instrumento de gestão pública. Hoje não dá mais para administrar uma cidade como Itajaí sem utilizar recursos modernos”, completa Volnei.

O presidente do Observatório Social de Itajaí, Paulo Sabatke Filho, parabenizou a iniciativa do Município de Itajaí e a empresa pela iniciativa de prestação de contas. “Acompanhamos esse processo desde a compra do software. E agora sabemos que esse é o caminho de modernização da gestão pública”, disse Sabatke Filho.

Para o presidente da Associação Empresarial de Itajaí (ACII), Mario Cesar dos Santos, muitas outras informações podem ser estruturadas. “O município é uma grande fonte de dados sobre os investimentos e movimentação econômica na cidade”. “Estamos diante de um grande arsenal de informações, agora a responsabilidade da prefeitura é utilizar bem esses dados”, afirma Laerson Batista da Costa, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Itajaí.

Como funciona
O software utilizado pelo Município de Itajaí utiliza ferramentas de big data analytics para cruzamento de dados. A empresa contratada consulta mais de três mil fontes de dados, possui 40 parceiros e mais de 500 clientes. No Município de Itajaí, até agora 25 estudos foram relatados com cinco funcionários dedicados ao projeto, sendo um com exclusividade. Além de 25 servidores treinados em sete capacitações.

O secretário do Centro Tecnológico de Informação e Modernização Administrativa, Murilo Allan Sodré de Souza, informou que o trabalho da Neoway é em conjunto com a tecnologia e servidores do Município de Itajaí. “É um contrato para disponibilizar os dados. A empresa vai e os dados ficam”, explica Murilo.

De acordo com os representantes da Neoway, novos relatórios podem ser solicitados pelo Município de Itajaí sem nenhum custo adicional. Na atual fase, os técnicos da empresa e os servidores da prefeitura trabalham para automatização do processo.

Comente com Facebook