Emasa usa robô para detectar poluidores do Rio Marambaia em Balneário Camboriú

Para identificar e combater agentes poluidores no Rio Marambaia, a Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMASA) realizou nesta segunda-feira (26), vídeo inspeção na drenagem pluvial da Bacia do Rio Marambaia.

Em vídeo divulgado nas redes sociais o prefeito Fabrício Oliveira, falou sobre o trabalho que está sendo realizado rsaltando que os responsáveis pelas ligações irregulares já foram notificados e o próximo passo será a lacração deste pontos.”Você que está jogando esgoto na rede pluvial pode se preparar porque o esgoto vai retornar para a sua casa. Então regularize a sua situação” , disse o prefeito. ( veja o vídeo)

O serviço faz parte das ações de Revitalização do Rio Marambaia e servirá para detectar e confirmar quem são os responsáveis pelo lançamento irregular de esgoto, e também o descarte de resíduos de coloração branca que são lançados pontualmente na canalização de água da chuva.

A ação iniciou pela galeria pluvial localizada da Rua Protásio Caetano, percorrendo a Avenida do Estado.

Na última quarta-feira (21), foi feito um levantamento que verificou a possibilidade de líquido esbranquiçado vir da construção civil. “Em parceria com a Vigilância Sanitária, a EMASA solicitou o plano de gerenciamento de resíduos sólidos existentes dessas construções, para saber como esses materiais são descartados. A partir do resultado dessas ações serão tomadas as providências necessárias para que a situação seja revertida e os poluidores sejam devidamente penalizados”, explicou a fiscal sanitarista do programa Se Liga na Rede da Emasa, Beatriz Nunes.

Outras ações

Além dessas ações, está em processo de viabilidade e liberação a construção de emissário e os testes com o Biorremediador, que é uma técnica rápida e imediata para a despoluição de rios. Para este, está sendo apenas aguardada a liberação do Instituto de Meio Ambiente (IMA).

Uma alternativa em análise pelos técnicos da Emasa, com prós e contras, é a construção de uma Unidade Compacta de Tratamento (UCT), que funciona praticamente como uma estação de tratamento. O termo de referência está pronto e será encaminhado para avaliação do TCE. Posteriormente, deverá passar pela análise do IMA.

“A Administração Municipal, por meio da Emasa, assumiu o compromisso de solucionar o problema do Rio Marambaia, e algumas ações já estão programadas. Porém também temos que contar com a conscientização da comunidade, principalmente dos proprietários de imóveis e de empreendimentos, que tem o descarte de resíduos e esgotos de formas irregulares”, disse o diretor-geral da Emasa, Douglas Beber Costa.

Comente com Facebook