Vacina contra a febre amarela está disponível nas Unidades Básicas de Vacinação em Balneário Camboriú

Balneário Camboriú está livre de casos suspeitos de Febre Amarela. Para que a doença continue distante da cidade, iniciou nesta segunda-feira (03) Campanha de Vacinação para pessoas com idade entre 9 meses a 59 anos, atendendo recomendação do Ministério da Saúde e da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado. A medida é preventiva e tem como objetivo antecipar a proteção contra a doença para toda população em caso de aumento na área de circulação do vírus. Todas as Unidades Básicas de Vacinação estão ofertando a vacina.

De janeiro a outubro deste ano, em Santa Catarina, apenas um caso de febre amarela foi registrado no Estado, de um paciente que contraiu a doença durante viagem ao estado de São Paulo. Porém, no segundo semestre de 2018, os estados da região sul do país (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) tornaram-se Área com Recomendação de Vacinação (ACRV) para a Febre Amarela, como forma de prevenção. Em Santa Catarina, o ciclo de vacinação foi dividido em seis etapas e Balneário Camboriú e cidades da Regional de Itajaí, integram a quarta etapa da vacinação, que ocorre em dezembro.

A vacina de Febre Amarela

A vacina contra febre amarela é a medida mais importante para prevenção e controle da doença. Produzida no Brasil desde 1937, pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, é da cepa 17DD, sendo constituída por vírus vivos atenuados derivados de uma amostra africana do vírus amarílico selvagem. Apresenta eficácia acima de 95%.

A vacina da febre amarela é reconhecidamente eficaz e segura. Entretanto, eventos adversos podem ocorrer, como reações locais e sistêmicas, tais como febre, dor local, cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dor no corpo), dentre outros. Atenção especial deve ser dada quando, após administração da vacina de febre amarela, a pessoa apresentar dor abdominal intensa.

Quem não deve tomar a vacina:

– Pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias.
Imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas).
– Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe).
– Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia.
– Pessoas que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina.
– Pessoas com reação alérgica grave ao ovo.
– Pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma).

VIAJANTES

Para turistas que forem se dirigir a uma área com recomendação de vacina – tanto estrangeiros quanto brasileiros – e que não nunca receberam nenhuma dose da vacina, a recomendação é que seja vacinado pelo menos dez dias antes da viagem, que é o tempo que a vacina leva para criar anticorpos e a pessoa estar devidamente protegida. Quem tomou a vacina em algum momento da vida, não precisa de nova dose.

CRIANÇAS

Se a criança tiver alguma dose do Calendário Nacional de Vacinação em atraso, ela pode ser aplicada ao mesmo tempo com a febre amarela ou será avaliada pela equipe da Sala de Vacina.

Comente com Facebook